À Oliveira Milenária

À Oliveira Milenária

Versão para impressão

À Oliveira Milenária


Entraste na história pelo bico de uma pomba anunciando o fim do castigo divino aos sobreviventes da tragédia do dilúvio. E desde então és o símbolo da paz.


Do teu fruto saiu o óleo que ungia profetas e reis. Alimentaste, alumiaste, aqueceste e curaste muitos pobres mortais. Deste força e alento aos atletas em competição. Todos procuram a tua virtude.


E quando o tempo chegou, entraste no cortejo triunfal a sublinhar o cântico Hossana ao filho de David. Poucos dias depois acolheste no teu jardim o filho do Homem em angústias de morte. Foste o último aconchego na vida do Homem Filho de Deus. Testemunhaste o beijo traiçoeiro, o suor de sangue, a prisão de Cristo e o abandono dos Discípulos.


E como testemunha fiel entraste na liturgia da Igreja oferecendo-lhe a matéria com que se celebram quatro dos sete sacramentos e com que se faz a Sagração das Igrejas.


Junto desta igreja velhinha poderás continuar a proclamar que a morte com que estás ferida não destrói a vida que em ti renasce todos os dias.


Símbolo da Paz!


Oliveira Milenária

Como árvore sagrada

Bem mereces ser cantada


Símbolo da Paz!


Com mil anos de vida

Anuncia a tua herança

Fortalece a nossa esperança


Símbolo da Paz!


Junto à Igreja da Sé Velha

Faz de ama preferida

De tanta gente perdida


Símbolo da Paz!


Com sinais de morte no teu tronco

Faz renascer vida cada dia

E mais alegria, mais alegria


Símbolo da Paz!

Monsenhor João Evangelista

 

Sexta, 28 Fevereiro 2014 12:59