Estatísticas


Warning: Creating default object from empty value in /home/pontopo1/public_html/seVelha/modules/mod_stats/helper.php on line 106
Visualizações de conteúdos : 552752


 

igrejasevelha@gmail.com

239 825 273


Horário das Missas

Segunda a Sexta - 18 H

Sábado - 19 H

Domingo - 10 H


 

" Sé Velha, o lugar mais carregado de significado espiritual e eclesial em toda a nossa cidade e diocese de Coimbra. O facto de ter sido consagrada como Igreja Mãe e dedicada a Santa Maria de Coimbra sintetiza a teologia acerca da relação indissociável entre Maria e a Igreja, a Mulher e Mãe e o Povo de Deus ou Povo de Filhos. " (08/12/2015)


D. Virgílio do Nascimento Antunes, Bispo de Coimbra

 

Atendimento Paroquial (Cartório Paroquial)

De Segunda a Sexta, da 10 h - 12 h e das 14:30 h - 18:00 h.


SÉ VELHA no Facebook em https://www.facebook.com/SeVelha?fref=ts

e

https://www.facebook.com/groups/Se.Velha.Coimbra/

 

SÉ VELHA no Twitter em https://twitter.com/SeVelhaCoimbra


A Sé Velha é uma igreja aberta ao Culto e ao Turismo.
Nesta Catedral está sediada a comunidade paroquial católica de São Cristóvão, da Diocese de Coimbra, desde início do séc XIX, com a missão de zelar pela sua conservação e nela manter a prática do culto.
A Sé Velha de Coimbra é um dos edifícios em estilo românico mais importantes de Portugal.



 

Old Cathedral of Coimbra

Old Cathedral of Coimbra

IV CICLO DE MÚSICA REQUIAM

IV CICLO DE MÚSICA REQUIAM

PDFVersão para impressãoEnviar por E-mail

A iniciativa nasceu da paixão pela música de um apaixonado grupo de artistas que em Coimbra sempre houve em abundância e alto nível de expectativa.


A Sé Velha monumento medieval destinado para o culto religioso mais solene e exaltado acolheu sempre o papel de Igreja Mãe aberta à prática religiosa e à cultura humana que aqui sempre se entenderam bem salvo a experiência de aniquilamento de que foi vítima no seculo XVIII. Por pouco ia sendo abandonada e se não fosse a persistência do povo e da academia de Coimbra com a proteção da sua padroeira e de bispos cultos e piedosos que a conseguiram repor na sua “pristina forma” e na sua dignidade catedralícia.


Agora, os tempos ditam mudanças mas os valores perenes dos homens e a religião dos nossos maiores conseguem repor de novo a colaboração e harmonia, símbolos de cultura, de arte e de vivência cristã dando à história o que ela nos deixou de melhor.


Os ciclos de música requiem foram pensados com uma maior abertura mas não encontraram as condições adequadas e aproveitaram o acolhimento da Sé Velha, talvez com alguns exageros e incompreensões e falhas aos compromissos acertados com a igreja.


A igreja não promove estes concertos, acolhe-os. Os encargos são repartidos por muitos. Alguns sobram para a igreja, mas a igreja não pode vender bilhetes sem se contradizer. Todos os dinheiros são para quem os organiza. Foi-nos dada a garantia de uma solução pragmática e acessível: oferecer convites e receber em troca apoios. Não podemos dar a imagem de comerciantes seja do que for. Culto é culto, não se vende, e cultura é cultura. Só é possível completarem-se em iniciativas comuns no mútuo respeito da própria identidade de cada um.

Monsenhor João Evangelista

Segunda, 21 Março 2016 14:46